terça-feira, 19 de abril de 2011

Tratamento cirúrgico de fratura de malar: redução e fixação


O paciente abaixo foi atropelado, sofrendo trauma em face lado D e clavícula lado D, cursando com fraturas em ambas regiões anatômicas. A fratura de clavícula foi tratada de maneira conservadora e o complexo zigomático-orbitário, por estar muito afundado, necessitou ser reconstruído. O procedimento foi executado por meio de dois acessos cirúrgicos, região sub-palpebral e intra-bucal. Após exposição das fraturas, notou-se muitos fragmentos em região de rebordo infra-orbitário e pilar zigomático. Alguns deles, por serem muito pequenos foram removidos e os maiores e viáveis, preservados. O osso zigomático foi reduzido com gancho de Barros, fixado com  uma placa orbitária de 1.5mm em rebordo infra-orbitário e duas placas retas de 1.5 mm  pilar zigomático e parede anterior do seio maxilar. A cirurgia foi realizada 24 horas após o trauma.
Fratura em clavícula lado D.

Tomografia computadorizada, corte axial, janela para tecido duro. Traços de fratura em região anterior e posterior do seio maxilar. Existe coleção de sangue em seio maxilar lado D.

Reconstrução 3D, afundamento de osso zigomático lado D.
Reconstrução 3D, traço de fratura passando por forame infra-orbitário lado D, comparar com forame do lado não afetado. 

Fragmentos da fratura, os maiores devem mantidos e os menores, removidos.


Fratura em rebordo infra-orbitário, extendendo-se para o assoalho de órbita.

Traço de fratura em assoalho de órbita.

Fixação de fratura em rebordo infra-orbitário, notar alinhamento de fratura nesta região e no assoalho de órbita.

Redução e fixação de pilar zigomático e parede anterior do seio maxilar. Observar o feixce vásculo-nervoso  (nervo infra-orbitário)  emergindo do forame infra-orbitário.


Nenhum comentário:

Postar um comentário